O Doador de Memórias - Phillip Noyce

Ficha Técnica
Data de lançamento: 11 de setembro de 2014 (Brasil)
Direção: Phillip Noyce
Gênero: Fantasia/Drama
Autora: Lois Lowry
Roteiro: Robert B. Weide, Michael Mitnick

Sinopse

"Em uma sociedade do futura sem adversidades nem liberdades de escolha, um jovem descobre uma verdade impactante e se vê obrigado a revelá-la." 

 Um filme de Philip Noyce, adaptado ao  livro de Lois Lowry conta de Jonas (Brenton Thwaites) que vive em uma pequena comunidade com sua família e amigos, cheias de regras como: 
  1. Usar a precisão de linguagem;
  2. Usar as roupas designadas;
  3. Tomar a medicação da manhã;
  4. Obedecer ao toque de recolher;
  5. Nunca mentir;
Aparentemente um lugar perfeito, sem doenças ou guerras e onde todo mundo é feliz e radiante, um paraíso na terra e o interessante é que ninguém possui sobrenome. 
Onde as pessoas não podem escolher seu futuro e muito menos a profissão que vai exercer durante a vida, tudo isso é  determinado de acordo com suas características. Mas Jonas se sente diferente das outras pessoas e não sabe qual sua vocação  e o que exercer.

Cada um tendo sua função determinada, existe uma principal na história que para essa realidade de mundo perfeito sobreviva, uma pessoa é encarregada de armazenar as más memórias, poupando os demais habitantes do sofrimento (sentimentos e lembranças que para a comunidade seria desnecessário para um bom convívio), o Recebedor de Memórias que é interpretado pelo ator Jeff Bridges.
Sendo assim, por ser um diferencial e ver além do que muitos Jonas acaba por adquirir tal função e substituir o antigo encarregado.
Mas Jonas estaria preparado para sentir dor?


O filme é passado todo em preto e branco e durante o aprendizado de Jonas nas cenas seguintes as cores vão aparecendo gradativamente, particularmente não me agradou ver o filme em preto e branco em sua maior parte, era como se estivesse vendo um filme antigo.

 Fico imaginando a sensação de Jonas quando começa ver as coisas como elas são de verdade, a cor do sol, a  neve, as cores e o aroma das flores, sentimentos como amor, tristeza a perda.
O Filme em si tem uma boa chamada, nos faz refletir como é nossa vida hoje e como coisas no nosso dia a dia são tão importantes mas não damos tanto valor. Ter uma vida com regras nos garante controle e organização mas nunca pode tirar nossa liberdade de viver, e sentir é uma condição humana totalmente natural.


"Ter fé é como ver além, é como o vento, não podemos ver mas podemos sentir" 



Jovem, tranquilo de se ver e possui um pitada de ação sim mas se você procura algo  arrebatador esse filme não é pra você, só não entendo o fato de ter como gênero de fantasia já que toda a estrutura de filme tem uma cara de Ficção, mas por outro lado, de fantasia ou ficção o que importa é que gostei.

Antes de assistir ao filme não sabia que era baseado em um livro o que me gerou um pouco de conforto por não ter lido antes que com certeza me privou de decepções futuras pois alguns filmes baseados em livros tendem a destruir com as histórias.


Eu sou do tipo, se o filme for baseado em livro for muito bom mesmo é uma deixa para eu ir correndo atrás do livro pois sei que é melhor ainda.
 Quem sabe eu não me aventure nessa nova leitura, quem sabe.

Beijos!


30 comentários

  1. Gosto muito de filme baseado em livro, então irei comprar a obra primeiro para ler e depois assisto o filme. Agora estou muito curioso com esse título porque gostei muito dessa temática.

    Gustavo
    http://www.leituraenigmatica.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico um pouco desconfiada com filmes baseados em filmes, principalmente se eu já tenha lido o livro. Como disse a probabilidade de decepcionar é grande.

      Excluir
  2. Já vi esse filme e gostei muito, não sabia que era baseado em um livro. O também deve ser interessante!

    Guilherme
    EDUARTMOVEIS.BLOGSPOT.COM

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do filme quando vi, agora sabendo que existe o livro também com certeza irei atrás

    ResponderExcluir
  4. Não sabia da existência do livro, assisti o filme, gostei, mas não me arriscaria em ler o livro, pois sempre ficou decepcionada quando leio um livro e depois vejo um filme, acredito que acontecerá o mesmo, assistindo primeiro o filme e depois o livro.

    ResponderExcluir
  5. Oi Eliziane!!
    Eu gostei muito desse filme. Eu fiquei sabendo do livro depois de ver o filme, então é pouco provável que eu leia. Não costumo ler os livros após assistir os filmes.
    Ótima indicação!!
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  6. Há muito que quero assistir esse filme!! Não sabia que era baseado num livro. Quem sabe se eu não leio primeiro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aconselho ler primeiro o livro, se eu soubesse antes teria lido primeiro também.

      Excluir
  7. Tão diferente esse tema, me interessei pelo filme. Viver em um mundo com tantas regras é bom por um lado, mas, como vc bem disse, nada substitui a liberdade, um direito ao qual todo ser vivo não pode ser privado.

    ResponderExcluir
  8. Já vi o filme... Eu sou meio chatinho com cinema... Mas trata-se de um bom filme para quem curte histórias assim. A temática vale a pena... Liberdade é tudo! E parece que a perdemos noutros patamares da nossa realidade.

    ResponderExcluir
  9. Super interessante esse filme e eu adoro a Meryl Streep, deve ser bem interessante mesmo, um lugar assim cheio de regras, deve ser bem dificil a convivencia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, não conseguiria viver assim depois de descobrir toda a verdade da vida, assim como o personagem do filme.

      Excluir
  10. Olá!
    Eu só conheci o livro quando surgiu com a capa nova, do filme. Até então desconhecia.
    Num determinado momento o enredo me fez lembrar o livro "Delírio", de Lauren Oliver. Essa coisa de você não poder sentir nada, etc. Inclusive fica a dica. O livro é muito bom.

    Bjão,
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.vidaeletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diego obrigado pela dica, já anotei em minha lista.
      Bjss

      Excluir
  11. Ainda não assisti este filme! Achei bem interessante a temática abordada...!
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá
    Acho muito interessante o nome desse livro/filme, mas acabo sempre adiando uma leitura por causa disso que você falou, ando numa vibe mais de coisas arrebatadoras, então eu vejo ele e parece que vai ser algo mais devagar, não sei se é impressão minha, mas sempre escolho ler outra coias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Daniele, Esse é um filme tranquilo e sem muita ação é mas para reflexão.
      Mas mesmo assim gostei bastante só não me interessei muito em ler o livro.

      Excluir
  13. Olá tudo bem..
    O livro quanto o filme me parece ser uma ótima dica.Decido ao exemplo de uma família comportada vivendo numa região sem nenhum problemas de qualquer espécie..
    Obrigado pela dica e vou conferir..
    www.robsondemorais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Eu já tinha ouvido falar do livro e do filme, mas nunca fui atrás mesmo de ler ou assistir. Mas sempre vejo pelos catálogos de filme e fico pensando se assisto ou não e sempre acabo passando.
    Eu achei muito interessante o fato do filme ser em preto e branco e ir colorindo conforme o personagem vai experimento sentimentos e tudo mais. Fiquei intrigada de como tudo deve acontecer.
    Vou procurar pra assistir no fim de semana.
    Parabéns pela crítica!

    Grande beijo,
    Além de 50 Tons
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem ?

    Assisti ao filme e confesso que fiquei muito aflita nas cenas com o bebê,sobre a família dele, esperava mais.

    ResponderExcluir
  16. Oi, olha não conhecia ném o livro nem o filme, mas me chamou muita atenção mostrando que temos q valoriza nosso livre arbítrio q temos para escolhermos o q queremos ser.

    ResponderExcluir
  17. Não sabia que era baseado em um livro, já tinha ouvido falar do filme, parece bem interessante.

    ResponderExcluir
  18. Olá
    Eu adoro esse filme e tenho mutia vontade de ler o livro que originou ele. Eu classifico ele como distopia, que ta mais pra ficção científica do que pra fantasia, mas cada um tem direito de discordar. O filme se passa grande parte em preto e branco porque as pessoas dessa sociedade enxergam assim. O Jonas começa a ver cor por conta das memórias que ele passa a receber e por parar de tomar a medicação pela manhã.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir